Translate

Etiquetas

domingo, 28 de maio de 2017

O que fazer quando uma criança começa a dizer palavrões?

Não existe uma resposta universal a esta questão, até porque é uma situação que pode ser encarada de forma diferente consoante a família em causa. Para algumas será um problema, mas para outras até pode ser algo normal. No entanto, para quem considera algo desagradável e a evitar, aqui ficam alguns conselhos.
A melhor forma de lidar com um comportamento errado de uma criança é ignorar esse mesmo comportamento. Sempre que se elogia ou corrige está-se a dar importância e isso pode ser percebido como algo positivo. Claro que há alguns comportamentos que não são minimamente aceitáveis e esses têm mesmo que ser corrigidos, mas em grande parte das vezes a solução pode ser outra.

Se uma criança diz palavrões só para "testar" os pais, porque sabe que é errado, a melhor solução é fazer de conta que não aconteceu. Assim, ela não se vai sentir recompensada por essa atitude e vai tentar arranjar outra forma de os "activar". No entanto, se utiliza esse tipo de linguagem de forma intencional e repetida, tem que ser chamada à atenção, mostrando que é um comportamento que os pais reprovam. Geralmente as crianças percebem e, com maior ou menor dificuldade, acabam por aceitar. É importante que essa conversa seja coerente e que os pais se mostrem genuinamente incomodados com a situação, o que nem sempre é fácil. Muitas vezes (particularmente quando é "novidade"), os adultos acham alguma piada à situação e acabam por se rir. Claro que isto vai ser percebido pela criança como um reforço positivo e ela vai repetir enquanto se sentir assim. Por esse motivo, mesmo que tenha vontade de esboçar um sorriso, tente mostrar uma cara coincidente com o que está a dizer, porque senão a probabilidade de sucesso é muito reduzida.

Por fim, importa também reforçar a ideia de que as crianças só aprendem o que lhes ensinam ou então o que vêem e ouvem. Assim, o melhor conselho é mesmo dar um bom exemplo aos seus filhos, porque eles vão aprender tudo consigo. Com o crescimento deles, rapidamente se vai rever na forma que eles têm de andar, de se expressar, de falar e de resolver problemas... Claro que também aprendem com as outras pessoas, mas não há dúvida de que os principais modelos são sempre os pais e isso é uma responsabilidade que tem que ser assumida sempre, sem excepção!

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Não deixe para amanhã o que o bebé pode comer já

É fundamental os bebés habituarem-se a aceitar sabores, cores e texturas, mas é também importante saber como prevenir possíveis alergias e intolerâncias alimentares.
Foi por esse motivo que escolhi esse tema para o meu texto da Revista Saúda. Se não teve oportunidade de o ler, pode fazê-lo clicando aqui.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Colo precioso

Numa altura em que se discute cada vez mais o papel dos avós na educação dos netos, faz sentido pensar um pouco sobre o assunto.
Esse foi um dos temas que eu escolhi para o meu texto mensal da Revista Saúda, da Associação Nacional de Farmácias, pelo que se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Se uma mãe que amamenta comer feijões, o bebé vai ficar com cólicas - mito ou realidade?

Mito!
Está actualmente bem estabelecido que as mães que amamentam podem e devem comer de tudo. Aliás, são essas as recomendações da Sociedade Portuguesa de Pediatria e da Sociedade Europeia de Nutrição Pediátrica. Se uma das vantagens do leite materno é ser um alimento "dinâmico", que vai variando o seu sabor consoante a alimentação da mãe, é um contra-senso defender uma alimentação materna monótona e pouco diversificada.
Por outro lado, o conceito de que "o que provoca cólicas à mãe também provoca cólicas ao bebé" nem sequer faz sentido do ponto de vista teórico. Os alimentos como o feijão e os legumes verdes aumentam a produção de gás a nível do intestino e podem causar até algum desconforto, porque possuem muitas fibras que não são absorvidas. Assim, se não são absorvidas é impossível passarem para o leite materno e, muito menos, provocar algum tipo de desconforto ao bebé.

Trata-se de um mito que foi sobrevivendo ao efeito dos tempos, mas que não tem fundamento, pelo que é importante desconstruí-lo e zelar pela "liberdade alimentar" das mães que amamentam.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

5 milhões e meio de visitas!

Ontem ultrapassámos os 5 milhões e meio de visitas!
É um número astronómico, tendo em conta que há cerca de três anos tínhamos acabado de chegar às 750 mil.
A todos quantos contribuíram e contribuem para este crescimento, aqui fica o meu MUITO OBRIGADO!
Continuemos, rumo aos 6 milhões...

quinta-feira, 11 de maio de 2017

As crianças e a espiritualidade

Este é um tema muito pouco consensual e para o qual não existem propriamente "recomendações". No entanto, faz sentido pensar nele, para perceber de que forma podemos retirar os aspectos positivos que a religião pode ter para oferecer.
Foi esse o propósito que me levou a escrever sobre esse tema para a Revista Saúda.
Se não leu o artigo, pode fazê-lo clicando aqui.

terça-feira, 9 de maio de 2017

Pintarolas

A varicela é das doenças infecciosas mais frequentes em Pediatria e todos os pais devem ter um conhecimento mínimo sobre ela.
Foi esse o propósito que me levou a escolher esse assunto para um dos meus textos na Revista Saúda. Se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.

domingo, 7 de maio de 2017

Qual é a idade ideal para entrar para a Escola Primária?

Nesta altura do ano, esta é uma dúvida que preocupa muito grande parte dos pais. A entrada para a Escola Primária é um marco importante no crescimento e desenvolvimento de todas as crianças, pelo que é fundamental tentar perceber o que é que os estudos dizem sobre esse assunto.
Foi esse o motivo que me levou a escolher este tema para o meu texto deste mês do site da revista Visão.
Se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.