Translate

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Infantários - sim ou não?

Esta é uma questão recorrente nas consultas de Pediatria e para a qual não há nenhuma resposta 100% correcta. A decisão de colocar um filho numa Creche / Jardim de Infância não é fácil e tem muitas condicionantes, tais com a hipótese de deixar o bebé com um familiar (mais frequentemente com os avós) ou numa ama.
No entanto, para se discutir este assunto de forma fundamentada, é preciso analisar várias questões.

Sendo assim, a favor de uma entrada precoce temos os seguintes pontos:
1 - Quanto mais cedo a criança entrar para o Infantário, menos vai estranhar.
2 - O Infantário ajuda bastante na estimulação das crianças e na sua aprendizagem social de relacionamento com os outros e obediência a regras.
3 - A aprendizagem das rotinas desde cedo permite uma maior facilidade na sua aquisição.

A favor de uma entrada mais tardia, temos as seguintes questões:
1 - Quando as crinças entram para o Infantário, adoecem muito mais frequentemente.
2 - Na casa dos avós as crianças têm mais atenção para elas.

Deste modo, pesando todos os prós e os contras, a minha opinião (que pode ser polémica...) é que, de um modo geral, a entrada precoce no Infantário é mais benéfica do que prejudicial. Não é necessário que o bebé entre logo aos 5 meses, mas eu diria que deveria fazê-lo até cumprir 1 ano de idade.
Claro que isto é uma afirmação descontextualizada, pois como se costuma dizer "cada caso é um caso" e a hipótese de deixar um filho com os pais/sogros, com menor probabilidade de adoecer é também muito válida e não necessariamente inferior. No entanto, a questão da aprendizagem de regras é para mim fundamental e aí não tenho dúvidas que os Infantários são muito mais eficazes do que qualquer outra solução.
Seja qual for a sua decisão, é importante também ter presente que não há nenhuma opção completamente ideal, portanto não vale a pena sofrer muito quando chegar a hora de escolher...

Sem comentários:

Enviar um comentário