Translate

Etiquetas

sábado, 29 de outubro de 2011

Quando devo tirar as fraldas ao meu filho?

O momento de tirar as fraldas gera sempre alguma ansiedade aos pais, mas o objectivo é que não o faça às crianças.
O primeiro aspecto a ter em conta é que a capacidade de controlar a emissão de urina e fezes depende da maturidade neurológica da criança. Estima-se que, em média, isso só aconteça por volta dos 2 anos, pelo que não é muito lógico tentar tirar as fraldas antes dessa idade (salvo algumas excepções).
Contudo, pode começar a treinar o seu filhote a sentar-se no pote ou sanita a partir dos 18-20 meses, sempre que lhe trocar a fralda. O objectivo é que ele comece a perceber que é possível controlar a urina e fezes. Aproveite para habituá-lo a ler um livro ou a brincar com bonecos enquanto está sentado, de forma a ganhar algum tempo. Sempre que ele conseguir fazer as suas necessidades no pote deve reforçar positivamente (palmas, elogios, ...), mas quando quiser pôr-se a pé para fazer outra coisa, também não deve forçar, para não ganhar aversão ao pote. Pode ainda habituá-lo a fazer "chichi" na banheira antes de tomar baho, para tentar que ele crie essa rotina e perceba que é capaz de controlar a vontade de urinar.
Vá-lhe explicando sempre o que fazer, como fazer e o que pretende, pois isso ajuda a acalmar o seu filho e a dar-lhe alguma estabilidade. Ajuda também a antecipar alguns problemas que possam surgir - os famosos "acidentes"...

Quando sei qual é o momento?
Essa resposta não é fácil... Muitas vezes é bom aguardar até que a criança verbalize e consiga exprimir por palavras as suas vontades. Muitos pais preferem também esperar pelo tempo mais quente, de forma a tornar mais prática a retirada das fraldas, o que me parece boa ideia. Para além de ser mais fácil lavar e secar a roupa, também o calor faz com que as crianças transpirem mais e produzam menos urina.

Chegou o momento... E agora?
Quando decidir acabar com as fraldas, tem que levar essa decisão até ao fim. Dizer que em determinado dia tem que voltar a colocar fraldas porque vai sair de casa e não quer nenhum "acidente" só gera confusão à criança, que não percebe porque é que às vezes pode urinar sem pedir e nas outras vezes tem que avisar previamente.
Nos primeiros dias em que tirar as fraldas, deve levar o seu filhote à casa de banho de 20-20 ou 30-30 minutos, mesmo que ele lhe diga que não tem vontade. Progressivamente vai aumentando esse intervalo e só mais tarde é que passa a colocá-lo no pote apenas quando ele pedir.

Quanto tempo demora este processo?
Isso é muito variável. O importante é não culpabilizar muito a criança sempre que há algum "acidente", embora deva responsabilizá-la. Há crianças que desde o primeiro dia controlam muito bem, mas há outras que demoram mais tempo. No entanto, é fundamental manter a posição de não voltar a colocar fraldas, senão todo o esforço até aí foi em vão...

Quando devo tirar as fraldas durante a noite?
Esta é também uma questão sem resposta universal. Dificilmente se conseguem tirar as fraldas de dia e de noite ao mesmo tempo, embora isso possa acontecer. Contudo, penso que é melhor opção fazê-lo em duas fases separadas, de forma a não criar muita ansiedade na criança. Quando vir que o seu filhote acorda sistematicamente com a fralda seca de manhã é sinal que chegou a altura de avançar...
Alguns meninos têm muita dificuldade em controlar a urina durante a noite. Essa situação chama-se enurese nocturna e é muitas vezes fonte de conflitos entre pais e filhos. Requer ajuda médica se se prolongar para além dos 5 anos de idade, pelo que deve contactar o seu médico assistente se isso acontecer, Até essa idade, é aceitável que não haja um controlo completo.

Todas as etapas do desenvolvimento geram algum stress, mas penso que deve ser função dos profissionais de saúde que lidam com crianças tentar minimizá-lo. Assim, aproveite todas as fases do seu filhote, pois são momentos únicos que não se repetem. Não perca muito tempo em zangas inúteis, pois pode acreditar que se o seu filhote não consegue controlar os esfíncteres a 100% não é para o chatear...

Nota prática: De um modo geral, os meninos têm mais dificuldade em tirar as fraldas do que as meninas.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Como preparar a entrada para a Escola Primária...

A entrada para a Escola Primária é um marco importante para todas as crianças, mas também para os seus pais. É sempre um fonte de ansiedade e é por isso que se deve tentar antecipar alguns problemas que possam surgir, principalmente ao longo do ano lectivo que precede esse grande acontecimento e durante o qual a criança está num Infantário (pré-escolar). Com este  post não pretendo ser exaustivo, mas apenas abordar 3-4 temas que me parecem os mais pertinentes.
É importante começar a habituar o seu filhote a trabalhar com uma postura correcta e deve incentivá-lo a isso quando ele está a pintar, desenhar, fazer puzzles, etc. Deve tentar que ele não faça essas coisas deitado no chão ou em outras posições menos adequadas, pois quando ele estiver na sala de aula vai ter que "trabalhar" sentado numa cadeira, com as coisas em cima da mesa.
Outro aspecto que considero crucial é a antecipação do insucesso. Este é um verdadeiro problema, pois todos os pais acham que os seus filhos são "os melhores". Eu acho que devem continuar a pensar assim, pois é um sentimento genuíno, mas é importante perceber que nem todos os meninos têm o mesmo rendimento escolar. Convém também não esquecer que as capacidades das crianças não são todas iguais, pelo que massacrar um menino com trabalho só porque ele não atinge o mesmo resultado que o colega do lado é uma violência escusada, na maior parte das vezes. Não quero com isto dizer que não é importante "puxar" pelas crianças mas, como em tudo, é preciso bom-senso...
Não se esqueça de incutir no seu filhote que há regras a cumprir (este é um trabalho que deve começar desde o nascimento). O dia-a-dia da Escola Primária é muito diferente do do Infantário, com rotinas e regras mais rígidas e é importante que as crianças adiram a essa realidade de forma natural.
Por fim, é fundamental que as crianças tenham uma rotina de sono saudável, dormindo as horas de que necessitam. Esse aspecto é ainda mais importante quando os meninos entram para a Escola Primária, pois o esforço intelectual é maior e essa exigência torna necessário que o descanso seja adequado.
Boa sorte!

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Os bebés devem usar chupeta?

As opiniões dos profissionais de saúde sobre o uso das chupetas são de todos os tipos, desde os defensores a 100% até aos que as desaconselham completamente. Mais uma vez, nesta questão eu não sou nada radical, pelo que aqui fica a minha opinião...
Existem vários estudos que dizem que a sucção na chupeta possui diversas funções, tais como o facto de ser calmante e confortante. No entanto, há 2 aspectos que me parecem claramente benéficos com o seu uso:
  1. estudos recentes parecem demonstrar que é um factor protector de morte súbita
  2. evita "chuchar" nos dedos, que é um hábito muito mais difícil de largar do que o da chupeta

Os grandes inconvenientes da chupeta são os seguintes:
  1. pode dificultar o aleitamento materno, se for dada ao bebé nos primeiros dias de vida (não o deve fazer até às 2-3 semanas de idade)
  2. aumenta o risco de otite
  3. pode provocar deformidades nos dentes

Assim, em jeito de balanço, acho que a chupeta tem mais benefícios do que prejuízos, pelo que o seu uso deve ser incentivado. No entanto, não é dramático se o seu filho não quiser a chupeta, porque há bebés que simplemente não gostam...

Relativamente ao tipo de chupeta, esta é também uma questão controversa.
Podemos dividi-las quanto ao material de que são feitas em:
  • látex - mais mole e mais deformável; tem como vantagem produzir menos alterações nos dentes e no palato (céu da boca), mas torna-se mais susceptível à degradação pela sucção ou lavagem
  • silicone - mais resistente à esterilização, mas menos às mordeduras
Relativamente à forma, temos os seguintes tipos:
  1. anatómicas ou ortodônticas - provocam menos alterações nos dentes e palato, excepto se utilizadas "de pernas para o ar" (atenção ao modo como coloca a chupeta na boca do seu filho!)
  2. em forma "de gota" - como são de menor tamanho, ocupam menos espaço na boca do bebé
Não há consenso sobre o melhor tipo de chupeta, pelo que eu acho que a mais adequada é aquela a que o bebé se adaptar melhor.

Notas práticas:
Deve substituir a chupeta do seu filho de dois em dois meses ou então sempre que estiver gasta.
As chupetas devem ser esterilizadas até aos 4-6 meses e, a partir daí, devem apenas ser lavadas em água corrente.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

O que são as "viroses"?

Se houvesse alguma votação para o diagnóstico que mais deixa os pais irritados, acho que o prémio ia para as famosas "viroses". Existe um consenso quase geral da população que acha que quando um pediatra diz que um menino tem uma "virose", é porque não sabe verdadeiramente qual é o problema.
No entanto, tal não corresponde completamente à verdade...

As "viroses" são infecções provocadas por vírus, que correspondem a mais de 80% do total de infecções em idade pediátrica (particularmente nos primeiros anos de vida). Assim, o que esse nome quer dizer é que a criança tem realmente uma infecção, mas que irá resolver com o passar do tempo, pois é vírica. Ao contrário das infecções provocadas por bactérias, que necessitam de antibiótico, este tipo de infecção não tem nenhum tratamento específico e é por isso que nós tentamos apenas minimizar sintomas. O que cura verdadeiramente as "viroses" é o tempo e a resposta imunológica do organismo...

Podem causar qualquer tipo de sintomas (respiratórios, intestinais, febre, dor de cabeça, ...) e geralmente são bastante contagiosas, pelo que é frequente atingir vários elementos da mesma família.

Salvo algumas excepções, não é possível determinar com exactidão qual o vírus que causa cada infecção e isso é algo que gera alguma ansiedade aos pais. No entanto, tal como referi, o tratamento é sempre o mesmo (melhorar o desconforto dos sintomas), pelo que não é importante o facto de não se saber qual é o vírus responsável.

Espero ter contribuído para desmistificar um bocado este conceito...
É importante frisar que as "viroses" só não têm um nome mais "pomposo", porque existem milhares de vírus diferentes que podem causar o mesmo tipo de sintomas.
Assim, este não é um diagnóstico dado "para despachar", nem é correcto dizer: "isso não é nada, é só uma virose", porque as "viroses" são mesmo doenças e não um rótulo que se atribua porque não se sabe o que a criança tem.

domingo, 23 de outubro de 2011

QI pode aumentar ou diminuir durante a adolescência

Um estudo inglês revelou que o Quociente de Inteligência (QI) varia durante o período da adolescência, o que indica que a inteligência não é estática durante este período. A variação é tão significativa que pode ser suficiente para colocar alguém mediano num patamar de genial ou vice-versa...

Leia a notícia na íntegra no seguinte link:

Os bebés devem ver televisão?

Enquanto são pequenos não!
A resposta a esta pergunta não é difícil de dar, mas é importante esclarecer os motivos...
Está provado que os estímulos da televisão são muito intensos e, consequentemente, não são indicados para crianças com idades inferiores a 2 anos. Há inclusivamente estudos que apontam para um aumento da frequência de hiperactividade nas crianças que foram expostas à televisão de forma continuada em idades muito precoces.
Para além disso, sabe-se também que o tempo que as crianças passam a ver televisão diminui a estimulação da linguagem, pois se esse tempo for aproveitado para contar histórias ao bebé, ver livros ou cantar canções, a estimulação é muito mais eficaz.
No entanto, isto não quer dizer que eu ache que os meninos pequenos (particularmente aqueles com idades inferiores a 2 anos) estão absolutamente proibidos de ver televisão. A mensagem que eu quero transmitir é que isso pode acontecer ocasionalmente, mas por regra esse hábito não deve substituir a interacção pai-filho.
Para além disto, há ainda outros aspectos que são mais vulgarmente falados, tais como o risco de obesidade e a inadequação de muitos programas televisivos para crianças pequenas, entre outros.
É fácil colocar os miúdos a ver televisão ao fim da tarde ou início da noite para se poder descansar um bocado no sofá, mas não é esse o papel que um pai/mãe devem ter...
Se o seu filhote estiver a ver televisão, sente-se ao lado dele e explique-lhe o que está a acontecer, pois assim passa a ter um momento de lazer em família e ajuda-o a perceber que a televisão não deve ser um meio de isolamento...

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Quando devem ser marcadas as consultas de rotina das crianças?

Em Portugal, o esquema de consultas de vigilância definido pela Direcção-Geral de Saúde está descrito no Boletim de Saúde Infantil, sendo habitualmente o que se pratica nos Centros de Saúde.
Deste modo, não me parece lógico que se adoptem esquemas diferentes para os meninos saudáveis. No entanto, para crianças com problemas de saúde, pode ser necessário ajustar os períodos de consulta, pelo que nesses casos o esquema deve ser adoptado de forma individual.
Assim, as consultas devem ser marcadas aproximadamente nas seguintes datas:
- 10-15 dias de vida
- 1 mês
- 2 meses
- 4 meses
- 6 meses
- 9 meses
- 12 meses
- 15 meses
- 18 meses
- 24 meses
- a partir desta altura, as consultas devem ser efectuadas 1 vez por ano até aos 18 anos

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Até quando é que os bebés devem usar biberão?

O biberão é um factor de risco para o desenvolvimento de cáries, principalmente nos dentes da frente (incisivos). Sendo assim, deve-se começar a  tentar fazer o "desmame" a partir dos 18 meses.
O ideal é que o seu filhote chegue aos 2 anos já a beber o leite pelo copo ou por palhinha. Claro que isto significa que as refeições vão passar a ser um pouco mais longas, particularemente o pequeno-almoço e é por isso que esta transição deve ser suave, sem tentar mudar tudo de um dia para o outro.
Pode começar por deixar o seu filho beber o leite pelo copo ou palhinha e, quando já não quiser mais, tentar completar o resto com o biberão. O objectivo é tentar diminuir de forma progressiva a quantidade de leite que tem que dar pelo biberão...
Tente fazer isto antes dos 2 anos, porque nessa altura deve começar a penar em mais 2 "guerras": a chupeta e as fraldas!
Boa sorte!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

O meu bebé tem a pele toda a descamar...

Quase todos os bebés ficam com a pele a "descamar" por volta dos 10 dias de vida. Os principais locais onde isso se verifica são as mãos, os pés, as axilas, o pescoço e a barriga.
Trata-se de um processo de renovação da pele, pelo que se deve deixar decorrer normalmente. No entanto, pode colocar um creme hidratante no corpo do seu filho, de forma a minimizar o aspecto que por vezes é exuberante. De qualquer forma, mesmo que não coloque nada, ao fim de cerca de 1 semana a pele do bebé volta ao normal, portanto não se preocupe...

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Quando devo colocar sal na comida do meu filho?

Até aos 12 meses, as crianças não devem comer alimentos com sal (sopa, comida e, eventualmente, pão), pois está provado que essa medida ajuda a diminuir a probabilidade do seu filhote vir a desenvolver hipertensão arterial no futuro.
No entanto, a partir dessa data, o seu filho deve começar a ter uma alimentação "social", pelo que é inevitável o contacto com o sal. De qualquer forma, tente diminuir ao máximo esse consumo, pois os alimentos já contêm todo o sal que precisamos, sem ser necessário que este seja adicionado à comida.
Não se esqueça que enquanto as crianças não contactarem com o sal, não vão estranhar a falta de "tempero", por muito que nos custe provar a comida deles...
Nota prática: Se o seu filhote já come pão com sal (e, portanto, já lhe conhece o sabor)e começa a rejeitar a sopa, experimente colocar-lhe um bocadinho de sal, pois vai ver que começa a comer muito melhor, mesmo que ainda não tenha os 12 meses (neste caso já o sal foi introduzido na alimentação através do pão).

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

O meu filho está com febre - será dos dentes?

Apesar de este ser um conceito profundamente enraizado na nossa cultura, à luz dos conhecimentos actuais não está provado que os dentes sejam causa de nenhum tipo de sintoma, tal como febre, tosse, diarreia, obstrução nasal ou outro sintoma qualquer.
No entanto, isto não quer dizer que os bebés não fiquem mais irritados quando começam a ap areceros dentinhos. Isso acontece realmente, mas pensa-se que tem mais ao ver com  desconforto e dor dos dentes a "romper" as gengivas. Assim, se notar que o seu filhote anda mais choroso do que habitualmente e com dentinhos novos a surgir pode experimentar dar-lhe um analgésico para fazer a prova. Os produtos de aplicação local (gel, anel dentário, ...) têm uma eficácia variável, mas podem ser experimentados  para ver se resultam...
De resto, não se esqueça de lavar bem os dentinhos do seu filhote, tal como está explicado num post anterior.

domingo, 9 de outubro de 2011

Direitos da criança

A Convenção sobre os Direitos da Criança  foi adoptada em 20 de Novembro de 1989 pela Assembleia Geral nas Nações Unidas, tendo sido ratificada por Portugal em 21 de Setembro de 1990.
É um documento que todos os pais deviam ler (se possível antes da paternidade / maternidade), pelo que aqui fica um endereço onde o podem consultar:

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Quando posso colocar o meu filho a viajar na cadeirinha voltado para a frente?

Apesar de a maior parte das informações obtidas nas lojas de puericultura terem apenas em conta o peso das crianças, a principal referência para alterar o modo como coloca o seu filho no automóvel deve ser a idade dele.
Deste modo, não o deve colocar a viajar de frente antes dos 18 meses, mesmo que ache que ele já esteja "farto" de andar de costas. Nuam situação de acidente ou mesmo de travagem mais brusca, a cabeça dos bebés torna-se difícil de controlar e o seu movimento pode originar lesões muito graves.
Este facto não quer dizer que não o pode tirar do "ovo"... Há algumas cadeiras no mercado que permitem ser colocadas tanto de frente como de costas (grupo 0+/1), portanto podem ser uma boa alternativa para a transição no modo como coloca o seu filho no automóvel. O facto de bater com os pés no banco não quer dizer que tem que o mudar de posição.
Não tenho dúvidas que é mais confortável viajar voltado para a frente, mas não se esqueça que é mais importante a segurança do que o conforto!