Translate

Etiquetas

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Feliz Natal!

A todos os leitores e leitoras deste blogue, os meus sinceros desejos de umas Festas muito Felizes!
 

domingo, 23 de dezembro de 2012

O que são hérnias inguinais?

As hérnias são um problema relativamente comum em Pediatria e podem ser de diferentes tipos.
Em relação às hérnias inguinais, elas dizem respeito a uma zona "fragilizada" da parede abdominal, que permite a passagem de intestino para a região inguinal ("virilhas") ou mesmo para dentro do escroto nos meninos. Geralmente é identificada pela detecção de uma tumefacção ("papo") nessa localização, que aumenta de tamanho sempre que o bebé chora ou tosse. Por vezes desaparece espontaneamente, podendo voltar a aparecer a seguir.
Na maior parte das vezes não é dolorosa e o principal risco é a hérnia ficar "estrangulada" e "encarcerada", que se traduz numa tumefacção dura, mais escura e acompanhada de dor. Quando isso acontece, a criança deve ser observada com urgência, pois tem risco de provocar lesões irreversíveis nos intestinos.
Trata-se de uma situação mais frequente nos bebés do sexo masculino (durante o desenvolvimento embrionário os testículos formam-se dentro da barriga e só no fim da gravidez descem, deixando uma zona mais frágil, que pode originar uma hérnia) e prematuros, mas pode surgir em qualquer criança. A observação por um Cirurgião Pediátrico deve ser sempre solicitada quando se identifica uma hérnia inguinal.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

O que é uma laringite?

Laringite é a inflamação da laringe, que é a parte do aparelho respiratório que engloba as cordas vocais. Deste modo, torna-se fácil perceber que os sintomas sejam a rouquidão, a tosse “funda” (ou “de cão”), dificuldade respiratória e, eventualmente febre.
A evolução é um pouco arrastada e consiste, em média, no seguinte:
  • febre – pode ser muito elevada, mas responde bem à medicação e as crianças ficam bem dispostas quando estão sem febre; dura 3-5 dias
  • rouquidão – dura também 3-5 dias e não requer nenhum tipo de medicação
  • tosse – dura 2-3 semanas e inicialmente é seca, passando depois a ter expectoração e, por fim, volta a ser seca; também não requer nenhum tipo de tratamento
  • dificuldade respiratória – caracteriza-se por um barulho que as crianças fazem na inspiração (entrada de ar); implica observação médica se for intensa

Geralmente é causada por uma infecção vírica, pelo que não necessita de nenhum tratamento especial, para além do tratamento sintomático. Na maior parte das vezes os sintomas são piores de noite e uma medida muito eficaz para aliviar as crianças é deixá-las respirar ar frio. O frio funciona como um anti-inflamatório ao passar nas cordas vocais, provocando uma melhoria quase imediata de todo o quadro. A maior parte dos pais faz exactamente o contrário, que é sobreaquecer as crianças, o que agrava os sintomas.

domingo, 16 de dezembro de 2012

As "correntes de ar" fazem mal?

Já há algum tempo que não escrevia nada no meu blogue, mas aqui estou eu de novo. Para este regresso, decidi pegar num tem muito controverso, que são as terríveis "correntes de ar"...
Tal como a maior parte das pessoas, eu cresci a ouvir que elas podem ser a causa de (quase) todos os males e que temos que nos proteger delas com todo o empenho, sob pena de nos acontecer algo de muito perigoso.
Quando comecei as minhas incursões na Medicina, sempre me interessei por estes conhecimentos "populares", tentando perceber quais deles é que têm fundamento científico e quais não passam de mitos.
Posto isto, e depois de algumas leituras, a minha opinião é que as "correntes de ar" (que não passam de ar "encanado") não são mais do que um perigo infundado, que se mantém perpetuado de geração em geração, mas que não representa uma ameaça real. Sei que estou a ir contra muitas "verdades" e contra a opinião de muita gente, mas na verdade não há justificação para afirmar algo diferente.
As "correntes de ar" provocam constipações?
Não!
Provocam gripe?
Não!
Provocam otites?
Não!
Provocam pneumonias?
Não!
Não pretendo com este post defender que as crianças devem andar ao frio, nem nada que se pareça. Penso apenas que é importante desmistificar alguns conceitos, pois muitas vezes levam a medos não justificáveis e que se vão perpetuando de forma quase "cultural"...