Translate

Etiquetas

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

O meu filho tem uma micose nas unhas - o que posso fazer?

É bastante frequentes as crianças desenvolverem micoses nas unhas, particularmente nos pés.
Geralmente são situações que se manifestam por unhas mais grossas, amareladas e que se "desfazem" e que são muitas vezes difíceis de cortar (parece que crescem menos do que as outras).
Trata-se de uma situação que normalmente não causa nenhum desconforto, mas que do ponto de vista estético acaba por não ser muito agradável.
O tratamento passa sempre pela administração de um xarope ou comprimidos (depende da idade da criança) com efeito antifúngico, pois só dessa maneira se consegue garantir a erradicação do fungo. Há uns vernizes que podem ser aplicados, mas isoladamente não garantem uma eficácia significativa, pelo que não são uma boa opção quando usados sozinhos. Há vários esquemas de tratamento, mas de um modo geral todos implicam uma duração considerável, particularmente para as unhas dos pés.
Muitas vezes só se consegue observar o resultado ao fim de 2-3 meses, pois começa-se a ver a unha "normal" a crescer e "empurrar" a outra. O aspecto amarelado e mais grosso não desaparece, mas como não se prolonga vai sendo empurrado de forma contínua, até deixar de existir.
É uma situação contagiosa, mas que só afecta as unhas, pois o fungo não é o mesmo de outras micoses, como o "pé de atleta", por exemplo.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Para quem não viu as "Queridas Manhãs" de ontem

Como habitual, aqui fica o link para o vídeo da minha entrevista ontem no programa "Queridas Manhãs".
Não se esqueça, na última terça-feira de cada mês é dia de "Pediatria para todos" na SIC!

domingo, 26 de outubro de 2014

É verdade que a cortisona (e derivados) fazem mal?

Depende...
Os corticóides (cortisona e seus derivados) são muitas vezes utilizados em Pediatria, seja sob a forma de gotas, ou então sob a forma de cremes. São medicamentos muito úteis, com um efeito anti-inflamatório bastante potente e, como tal, são uma boa "arma" para variadas situações. No entanto, como é lógico, devem sempre ser utilizados apenas sob prescrição médica, porque também têm alguns efeitos laterais significativos, particularmente quando administrados por via oral ou injectável.
As suas principais utilizações são as seguintes:
- cremes: crises de pele atópica (eczemas), algumas irritações cutâneas, fimose (ver post sobre o assunto)
- gotas: pele atópica (casos graves), asma, inflamações respiratórias
Apesar de serem seguros, só devem ser administrados por mais de 3 dias se houver indicação médica nesse sentido, de forma a não comprometer a segurança do medicamento.
Posto isto isto, termino completando a resposta à questão inicial "É verdade que a cortisona (e derivados) fazem mal?": 
Depende...
Se tiverem indicação e forem respeitadas as dosagens e tempos de administração não; se isso não acontecer, é preciso ter muita cautela.

"Pediatria para todos" nas "Queridas Manhãs" da SIC

Na próxima terça-feira (dia 28) regresso ao programa "Queridas Manhãs" da SIC, onde passarei a ter uma colaboração fixa na última terça feira de cada mês.
Qual será o tema?
Não perca e divulgue!


sábado, 25 de outubro de 2014

1 milhão de visitas!

Chegamos hoje ao fabuloso número de 1 milhão de visitas!
Tudo começou no dia 17-7-2011, há precisamente 3 anos, 3 meses e 8 dias, quando publiquei o primeiro post neste blog, a que chamei "Pediatria para todos". O título era "Vou ser mãe/pai! E agora???" e foi o início de uma fantástica caminhada. Neste período foram centenas os emails recebidos e enviados, 1222 os comentários publicados e tudo culminou na edição do meu livro "PEDIATRA PARA TODOS", onde compilei alguns dos textos deste blogue, juntamente com muitos outros originais, mas que seguem a mesma filosofia e que procuram, basicamente, ajudar todas as mães e pais na espectacular tarefa de ter um filho.
Na imagem a seguir podem ver a azul todos os países que já visitaram este blogue só este ano (infelizmente não tenho dados anteriores), o que me enche de orgulho.


Alguém disse um dia "se quiseres ir depressa vai sozinho, mas se quiseres ir longe leva companhia" e é isso mesmo que eu tenho feito com todas as pessoas que vão lendo este blogue.
Resta-me então dar os parabéns a todas essas pessoas que fizeram parte deste trajecto e, já agora, venha mais 1 milhão! 
Acredito que com a vossa divulgação é bem possível...

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Qual é o melhor aspirador para o nariz dos bebés?

Hoje em dia há vários aspiradores para ajudar na higiene do nariz dos bebés, mas nem todos têm a mesma eficácia.
As recomendações apontam para a preferência pelos aspiradores em que são os pais a fazer a própria aspiração. Funcionam quase como uma "palhinha" de um refresco, em que uma das extremidades é introduzida no nariz do bebé e a outra na boca de quem vai aspirar. Tem um reservatório com um filtro, portanto não vem nada para a boca dos pais e, apesar da ideia parecer um pouco "estranha" de início, facilmente se percebe que são os mais adequados, pois permitem controlar de forma segura a força de aspiração.
Para além destes, há também os aspiradores mais "convencionais", em forma de pêra, que acabam por não ser muito eficazes e também uns mais recentes, electrónicos, que funcionam um pouco melhor.
Como pode ver num post anterior sobre a higiene nasal dos bebés, este é um procedimento bastante importante de realizar (embora seja muitas vezes uma autêntica "guerra"), pelo que devemos tentar ter a maior eficácia possível. Deste modo, apesar de não ser propriamente obrigatório utilizar os primeiros aspiradores que descrevi, estes acabam por ser os mais indicados para a maior parte dos casos.

domingo, 19 de outubro de 2014

Os iogurtes são uma boa sobremesa?

Não!
A sobremesa mais correcta é mesmo a fruta, pois de um modo geral contém uma série de enzimas que favorecem a digestão e ajudam no processamento dos alimentos. A opção de dar um iogurte depois da refeição é muito frequente, mas não é, de todo, a melhor escolha. 
O iogurte vai interferir com a absorção de alguns nutrientes, nomeadamente o ferro, retirando algumas das qualidades dos alimentos. Por outro lado, também os próprios alimentos interferem com a absorção de alguns nutrientes dos iogurtes, nomeadamente o cálcio, pelo que vamos acabar por perder vantagens de cada um deles.
Não há dúvida de que o iogurte é um bom alimento, mas tudo o que seja lácteo (derivado do leite) deve ser dado fora do almoço e jantar, para se poder usufruir melhor de todas as suas características.

Amanhã vou estar no programa "Mais Mulher"

Amanhã (dia 20) vou estar no programa "Mais Mulher", apresentada por Ana Rita Clara, na SIC Mulher.
Não perca!


segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Até que idade se deve dar vitamina D aos bebés?

Há algum tempo atrás eu escrevi um texto neste blogue sobre a eventual necessidade de vitaminas por parte dos bebés (ver post sobre esse assunto).
Nesse texto afirmo que a única vitamina que eles precisam é a vitamina D e isso mantém-se verdade. No entanto, tem havido recentemente alguma discussão sobre durante quanto tempo deve ser administrada e, nessa área, há algumas novidades.
A vitamina D é produzida na nossa pele após exposição ao Sol e é muito frequente a sua falta na nossa população (há inclusivamente alguns estudos portugueses que o demonstram), particularmente durante o período em que ainda há crescimento corporal. Por esse motivo, a Academia Americana de Pediatria recomenda a administração de vitamina D até aos 18 anos de idade e parece que essa deve também ser a recomendação para Portugal.
Claro que o nosso país tem uma exposição solar significativa, portanto aqui faz sentido, provavelmente, atender a algumas particularidades. Assim, apesar de não ser uma recomendação "formal", neste momento a posição mais consensual parece ser a de suplementar com vitamina D:
- todos os bebés até aos 12 meses
- todas as crianças e jovens entre 1 e 18 anos, durante os meses de Outono e Inverno
Esta é também a minha opinião, pois parece-me ser a posição mais sensata e, acima de tudo, mais fundamentada do ponto de vista científico.

domingo, 12 de outubro de 2014

Oficial - Já temos página de facebook!

Já é oficial - a página do blogue "Pediatria para todos" entrou em funcioinamento.


Ainda está a começar e, sinceramente, estou a descobrir aos poucos as funcionalidades do facebook, mas o primeiro passo está dado.

Vão ver e coloquem o vosso "gosto"!


sábado, 11 de outubro de 2014

Para quem não viu...

Para quem não teve oportunidade de ver, aqui fica o link do vídeo da minha participação no programa "Você na TV", do passado dia 9/10:


Espero que goste...

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

BCG – uma vacina diferente…

A BCG é uma das 2 vacinas que se dão logo após o nascimento em Portugal, juntamente com a 1ª dose da vacina para a hepatite B. Previne contra as formas mais graves de tuberculose mas, apesar disso, é uma vacina algo controversa, pois pode dificultar um pouco o diagnóstico desta doença em pessoas que a tomaram.
É completamente diferente das outras, pois induz uma reacção tardia no organismo (e não imediata), o que se vai reflectir na resposta que provoca. Geralmente só surge reacção no local da picada cerca de 1 mês após a administração e depois prolonga-se por mais 2-3 meses. Essa reacção caracteriza-se por uma espécie de “borbulha” vermelha que vai crescendo e que acaba por acumular uma substância amarela semelhante ao pús (muitas vezes “rebenta” e liberta essa substância para o exterior). Apesar de não ter muito bom aspecto, é indolor e não provoca nenhum tipo de desconforto ao bebé. O importante é frisar que não é preciso fazer nada, nomeadamente desinfectar, espremer ou alguma coisa do género. Pode ir apenas lavando com soro fisiológico e esperar que vá passando.

Amanhã vou ao programa "Você na TV", na TVI

Amanhã vou estar no programa da TVI "Você na TV", apresentado por Manuel Luís Goucha e Cristina Ferreira.
Não perca!


terça-feira, 7 de outubro de 2014

É preferível usar soro fisiológico ou água do mar para limpar o nariz dos bebés?

O primeiro aspecto a reforçar é que a lavagem nasal dos bebés é algo muito importante de se fazer com alguma regularidade. 
Geralmente é um momento de alguma "guerra" entre pais e filhos, porque não é, de todo, o acto mais agradável de ser feito, mas no fim as melhorias são evidentes. É fundamental esclarecer que os bebés pequenos só sabem respirar pelo nariz, pelo que a sua obstrução pode condicionar uma dificuldades respiratória grande. Uma vez que os orifícios são muito pequenos, qualquer acumulação de secreções pode ter um efeito significativo e deve ser alvo de uma "limpeza" activa. 
Quando se fala sobre este assunto, as principais questões que se colocam são as seguintes:

  1. É melhor o soro fisiológico ou a água do mar?
    • Em termos de composição eles são semelhantes, mas a água do mar tem a vantagem de ser aplicada sob pressão, ou seja, utilizando um spray. Isto vai aumentar a sua eficácia, permitindo "lavar" melhor as secreções, arrastando-as com a água.
  2. É preferível a água do mar isotónica ou hipertónica?
    • Em termos teóricos, para as secreções mais líquidas é indiferente usar uma ou outra. No entanto, a água do mar hipertónica é mais concentrada e acaba por funcionar um pouco melhor. Na minha opinião, é a 1ª escolha.
  3. Deve-se usar sempre aspirador?
    • Nem sempre. Quando os bebés são muito pequenos (primeiros 2 meses, mais ou menos), só o facto do soro ou da água do mar escorrerem já é suficiente para limpar bem o nariz, pelo que o aspirador geralmente não se justifica (excepto se o bebé estiver constipado). Conforme as crianças vão crescendo, e até aprenderem a assoar-se, torna-se útil o recurso a um aspirador nasal, para aumentar a eficácia da lavagem.
  4. Quando deve ser feito?
    • Pode ser feito em qualquer altura, essencialmente quando o bebé tem mais necessidade de respirar pelo nariz, ou seja, quando come/mama e quando dorme. No entanto, é um acto que pode ser repetido inúmeras vezes ao longo do dia, sem ter propriamente limite máximo do número de vezes.

Eu sei que não é um procedimento muito agradável, mas depois de o fazer algumas vezes, vai ver que é muito eficaz...