Translate

Etiquetas

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Resistência aos antibióticos - um problema de saúde pública

A resistência aos antibióticos é um problema de saúde pública, porque afecta toda a gente. Basicamente, diz respeito às situações em que os antibióticos perdem a sua eficácia, porque as bactérias conseguem encontrar estratégias para combater o seu efeito. O maior problema é que acabamos por ficar com menos "armas" para combater as infecções e, pior ainda, muitas vezes essas resistências não afectam só um antibiótico, mas toda a "família" a que eles pertencem, o que condiciona ainda mais as escolhas. Se a isto acrescentarmos o facto de grande parte das bactérias conseguir transmitir a informação genética dessa resistência a outras bactérias, facilmente se percebe como é que este problema se pode disseminar rapidamente e porque é que tem tanto impacto na população.
As melhores formas de a prevenir são três:
a) Restringir o uso de antibióticos apenas para as situações em que são indicados (e não para qualquer situação de infecção, nomeadamente as provocadas por vírus) - ver post sobre o assunto. Se não o fizermos, vamos estar a matar as bactérias susceptíveis e a deixar no organismo apenas as resistentes, que não vão responder quando se precisar mesmo do antibiótico
b) Escolher o tipo de antibiótico mais apropriado para cada situação, pois não é necessário utilizar um que mate muitos tipos de bactérias quando se pode utilizar outro que mate apenas as que nos interessam ("nao vale a pena matar moscas com uma espingarda")
c) Cumprir  tratamento até ao fim, porque sempre que se inicia um antibiótico vamos actuar sobre uma população de bactérias que não se comportam todas exactamente da mesma maneira. Há umas que são mais sensíveis do que outras, pelo que demora algum tempo até se conseguir eliminar todas e, muitas vezes, as melhorias (em termos de sintomas) são claras mesmo antes de se conseguir isso. É por esse motivo que não se deve interromper o tratamento a meio, porque mesmo que a pessoa se sinta melhor, pode ainda haver algumas bactérias que não foram destruídas completamente no organismo e que vão aproveitar esse interrupção para crescer e dar origem a uma nova população.

5 comentários:

  1. o meu filho tem imensas amigdalites e axo k os antibioticoa já não lhe fazem nada pk qd acaba um antibiótico mais ou menos um mês depois tem de novo.

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. Boa tarde,

      Quando as crianças fazem mais de 6 amigdalites por ano tem indicação de ser observadas por um otorrino, porque pode fazer falta retirar as amígdalas.
      Quanto a tosse, não tem a ver com as amigdalites, provavelmente serão situacoes diferentes.
      Cumprimentos

      Eliminar
    2. boa noite,
      Tenho duas filhas gemeas com quase 1 ano. Uma delas tem otites frequentemente. No espaco de 11 meses ja é a 3vez que toma antibiotico. Tenho medo que lhe traga algum problema. Há motivo para me preocupar pelo o uso (3vezes) de antibiotico? Obrigada

      Eliminar
    3. Boa tarde,

      Não se preocupe, que não vai ter nenhum problema por causa desses antibióticos.
      Cumprimentos

      Eliminar