Quando é que o excesso de mimo deixa de ser saudável e passa a ser prejudicial?

Nunca!
Todas as crianças precisam de afecto e de se sentir amadas e acarinhadas. Por isso não faz nenhum sentido restringir essas manifestações, sob o falso pretexto de que se podem "habituar mal" ou que se podem "estragar com mimos". Este conceito é ainda mais desadequado quando falamos de bebés pequenos e da opção de dar muito ou pouco colo. Mimo a mais não existe, mas mesmo que existisse isso não significa má educação em nenhuma parte do mundo. 
Para as crianças, o carinho e os mimos devem ser a regra mas, como é lógico, também é imprescindível saber dizer que "não" é impor regras no momento certo. Esse é um papel fundamental dos pais e só esse equilíbrio é que vai fazer com que as crianças cresçam de forma harmoniosa em todo o seu desenvolvimento.
É importante não esquecer que crianças felizes vão ser adultos felizes e muito mais saudáveis!

Comentários

  1. A inteligência emocional assume cada vez mais um papel preponderante... e ainda bem!
    :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário