Porque razão os casos de depressão estão a aumentar na idade pediátrica?

Ninguém sabe muito bem, até porque esse tipo de conclusão é muito difícil de fazer de forma clara. Numa altura em que os valores da Família e Compaixão são calados diariamente, faz algum sentido pensar um pouco no que se está a passar e, acima de tudo, perceber que soluções temos para oferecer...
Há, obviamente, alguns factores que podem justificar esse aumento, nomeadamente:
- pouco tempo que os pais passam com os filhos, fruto de condições profissionais complicadas, o que condiciona o suporte e acompanhamento de que as crianças necessitam para crescer saudáveis, equilibradas e seguras
- aumento do número de divórcios e uniões pouco "funcionais", pois quando não há harmonia em casa torna-se mais difícil manter a estabilidade emocional
- desemprego e pouco poder económico, que preocupa os pais e, consequentemente, acaba por "contagiar" também os filhos (a "crise" não é culpada de tudo, mas pode efectivamente agravar estas situações)
- pressão escolar exagerada, com múltiplos exames, trabalhos de casa, explicações, ... - estas situações são muito variáveis, mas não nos podemos esquecer que todas as pessoas precisam de algum tempo para si e as crianças e os adolescentes muito mais; é preciso brincar, sorrir, pensar, sem ter tarefas em cima de tarefas e preocupações em cima de preocupações e, infelizmente, hoje em dia as nossas crianças têm muito pouco tempo para elas, para serem efectivamente crianças
- maior exposição dos adolescentes nas redes sociais, o que os torna mais vulneráveis a todo o tipo de agressões e intromissões na sua vida privada (por pessoas estranhas ou até próximas)
Estes são apenas alguns exemplos de factores que claramente influenciam o equilíbrio emocional da nossa população pediátrica, mas certamente há mais para discutir. No entanto, gostaria também de acrescentar um outro factor, que é o facto de os profissionais de saúde estarem também mais alerta para estes diagnóstico, o que terá implicação, obviamente, no maior numero de diagnósticos que se fazem.

Comentários

  1. Em que idade considera razoável as crianças terem acesso a telemóveis, ipads e redes sociais? Parece-me tudo tão demasiadamente precoce nesta "geração" e uma vez que tenho apenas 26 anos acho que não me estou a esquecer da minha adolescência ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite,

      Concordo, é preciso que as crianças sejam crianças, sem pressa de os tornar adultos.
      Não existe uma idade consensual, mas redes sociais e telemóveis antes da adolescência parece-me demasiado precoce.
      Cumprimentos

      Eliminar

Enviar um comentário